O futuro da identificação, classificação e tratamento de pacientes com epilepsia

Na reunião anual do CNS 2021, o Dr. Christopher Yuskaitis da Escola de Medicina de Harvard (Harvard Medical School), em Boston, Massachusetts, nos EUA, discutiu avanços recentes na genética da epilepsia, com ênfase em exigências futuras para identificação, classificação e tratamento de pacientes com epilepsia. 

Para a identificação da epilepsia, o Dr. Yuskaitis analisou o teste genético usando sequenciamento completo do exoma (SCE), um painel genético da epilepsia, análise cromossômica por microarranjo (chromosomal microarray, CMA), cariotipagem e teste de DNA mitocondrial. Os rendimentos diagnósticos foram de 33 – 57% para SCE e 18 – 29% para o painel genético da epilepsia, disse ele.