Utilizando a tecnologia para reformular o atendimento clínico e a pesquisa na doença de Parkinson

O Prof. Bastiaan Bloem iniciou sua apresentação com uma provocação. O autor afirma que, se o estado emocional varia tanto ao longo dos dias, se os sintomas dos pacientes variam ainda mais ao longo do dia, se efeitos adversos aparecem de maneira errática ao longo dos dias, como confiar em respostas para perguntas do tipo: “Como o senhor tem passado nas últimas semanas?”. E o apresentador diz que simplesmente não podemos nos basear unicamente nessas respostas. Todos os pacientes estão sujeitos ao viés de recordação, tornando imprecisas estas informações.